sábado, 9 de maio de 2009

BIOGRAFIA - Hergé



Biografia

Mestre do desenho e da ciência narrativa, ele deu à banda desenhada européia toda a nobreza com que é hoje distinguida.
1907 Nascimento de Georges Remi em Bruxelas, dia 22 de Maio.
1920 O jovem Georges inicia os seus estudos secundários no colégio Saint-Boniface, em Bruxelas; aborrece-se muito com as matérias.
1921 Entra no grupo de escuteiros do colégio onde viria a receber a alcunha de raposa curiosa. Os seus desenhos são publicados na revista “Jamais Assez”, a revista do estabelecimento escolar e, mais tarde, em 1923, em “Le Boy-Scout Belge”, a revista mensal dos escoteiros belgas.
1924 É com o nome Hergé - RG, as iniciais de Remi Georges - que ele assina as suas ilustrações.
1925 Tendo acabado os seus estudos, Georges Remi fica empregado no jornal “Le Vingtième Siècle”, com um cargo no serviço de assinaturas.
1926 Criação de Totor, CP des Hannetons, prefigurando Tintim no “Le Boy-Scout Belge”.
1927 Georges Remi serve o exército.
1928 De regresso a Bruxelas, Hergé é nomeado redator-chefe do “Petit Vingtième”, suplemento semanal para jovens do “Le XXe Siècle”. O primeiro número é publicado no dia 1 de Novembro. O diretor do jornal é o abade cristão Norbert Wallez
1929 No dia 10 de Janeiro, "nascimento" de Tintim e Milu, no “Petit XXe”.
1930 Criação de Quim e Filipe, rapazes de Bruxelas e actores de curtas e completas histórias no “Petit Vingtième”. Publicação do primeiro álbum de Tintim: Tintim no país dos sovietes.
1932 Georges Remi casa-se com Germaine Kieckens, secretária do director do “Vingtième Siècle”.
1934 A Casa Casterman, estabelecida em Tournai (Bélgica) torna-se editora das aventuras de Tintim. O encontro de Hergé com um jovem estudante chinês, Tchang Tchong-Jen, marca um desvio decisivo. Hergé apercebe-se da importância de uma história construída solidamente e da necessidade de se documentar. Começa então a levar a sério aquilo que antes para ele não era mais do que um jogo.
1935 Para o semanário francês “Coeurs Vaillants”, Hergé cria uma nova série com novos heróis: Joana, João e o macaco Simão. Cinco álbuns serão publicados.
1939 Devido à sua tomada de posição em favor do povo chinês em O lótus azul, o criador de Tintim é convidado pela esposa de Chiang Kai-Shek a visitar a China. A guerra iminente na Europa viria a impedir essa viagem.
1940 No dia 10 de Maio, a Bélgica é invadida por tropas alemãs. O “Vingtième Siècle” e o “Petit Vingtième” desaparecem. Tintim no país do ouro negro, então em curso de publicação, é interrompido por oito anos. Hergé começa outra história - O caranguejo das tenazes de ouro - que publica no jornal “Le Soir”, um dos poucos jornais autorizados pelos nazis a circular.
1942 A editora Casterman, tendo em vista a criação de álbuns padronizados (de 64 páginas e a cores), obtem de Hergé os episódios já publicados, adaptados progressivamente a estes novos modelos.
1944 A libertação da Bélgica, no dia 3 de Setembro põe termo à publicação das aventuras de Tintim no jornal “Le Soir”. Alguns consideram que tendo publicado num jornal controlado pelos nazis, Hergé tinha "colaborado" com estes.
1946 Publicação, no dia 26 de Setembro, do primeiro número da revista “Tintin”, um novo semanário criado para a juventude por um antigo resistente - Raymond Leblanc.
1950 Tendo decidido realizar Explorando a lua, um episódio das aventuras de Tintim que requeria um trabalho técnico importante, um rigor documental e uma atenção particular, Hergé junta-se com colaboradores e funda os Estúdios Hergé.
1955 O desenhista conclui a publicação dos primeiros álbuns já adaptados às novas normas. Tintim, cujos álbuns se tornam um verdadeiro sucesso, é de tal modo popular que a publicidade se interessa por ele. Hergé realiza, então, uma colecção de cromos, na qual Tintim desempenha o papel de apresentador em diferentes domínios do saber.
1958 O episódio Tintim no Tibete é terminado, apesar de uma violenta crise pessoal de Hergé.
1960 Tintim faz a sua estréia no cinema e é o jovem belga Jean-Pierre Talbot que encarna o seu papel em "Tintim e o mistério do Tosão de Ouro". Mais tarde, em 1964, o actor voltaria a desempenhar o papel de Tintim em "Tintim e as laranjas azuis". Georges Remi descobre a arte contemporânea, que se torna uma verdadeira paixão para ele. Separa-se da esposa.
1969 Os estúdios Belvision de Bruxelas produzem um desenho animado de longa metragem a partir do álbum O templo do sol.
1971 Numa primeira viagem aos Estados Unidos, Hergé encontra os peles-vermelhas.
1973 As edições Casterman publicam o primeiro tomo dos “Arquivos Hergé”. O mítico Tintim no país dos sovietes reaparece assim, quarenta anos depois de ter desaparecido completamente das livrarias. Hergé visita Taiwan, trinta e cinco anos depois do convite oficial que lhe foi feito.
1976 Difusão nas telas de televisão de “Moi, Tintin”, um documentário sobre o personagem e o seu criador. No dia 29 de Setembro, é inaugurada uma estátua em bronze de Tintim e Milu, em Bruxelas.
1977 Tendo-se pronunciado o divórcio com a sua primeira esposa, Hergé casa-se, com Fanny Vlamynck.
1979 O Americano Andy Warhol, artista máximo e criador da Pop Art, realiza uma série de quatro retratos de Hergé. O "nascimento" de Tintim comemora-se um pouco por todo o lado. Os cinquenta anos de existência do heroi fictício são também celebrados através de uma emissão de selos dedicados a Tintim, à exposição O Museu imaginário de Tintim e a publicação do álbum “Cinquante ans de travaux fort gais”.
1981 Reencontro emocionante entre Hergé e Tchang-Tchong-Jen, o amigo chinês que o tinha inspirado para O lótus azul, quarenta e cinco anos atrás.
1982 Para festejar o 65º aniversário de Hergé, a Sociedade Belga de Astronomia dá o seu nome a um planeta descoberto recentemente. O planeta Hergé está situado entre Marte e Júpiter.
1983 Georges Remi, Hergé, falece no dia 3 de Março.
1986 Publicação do álbum “Tintin et l'Alph'Art,” última aventura de Tintim, ainda por terminar.
1987 Tendo Hergé manifestado a sua vontade de não confiar Tintim a um outro desenhista, a sua esposa Fanny decide substituir os Estúdios Hergé por uma Fundação Hergé.
1988 Inauguração, numa estação de metropolitano de Bruxelas, de um afresco de cem metros, animado pelo grupo dos personagens principais das aventuras de Tintim, a partir de um esboço de Hergé. Desaparecimento da revista Tintim.
1989 Inauguração, no Centro Nacional da Banda desenhada e da Imagem, em Angoulême (França), de um busto de Hergé realizado pelo escultor Tchang-Tchong-Jen. A Fundação Hergé monta uma vasta exposição intitulada “Tintin, 60 ans d'aventures”, inaugurada em Bruxelas e destinada a dar a volta ao mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

BIBLIOTECA COMUNITÁRIA MILTON JOSÉ ASSUMPÇÃO